terça-feira, 23 de novembro de 2010

"Papo furado" de uma grávida virada no Jiraya

Andei checando que meu blog está bem internacional (acessos dos EUA, Japão, Portugal, França, Suiça e Oriente Médio) e muito nacional (Brasil, de Oiapoque a Chuí - obrigada, obrigada!!!), então começo com um grande BOM DIA, um grande BOA TARDE e um grande BOA NOITE, respeitando assim todo e qualquer fuso-horário que esteja vigorando no momento do acesso.

Para dar início, venho relatar que hoje bem cedinho, tomei a enésima furada na veia, para repetir os exames para rubéola, sífilis, toxoplasmose, lalala, lelele e lilili. Dueeeeuuu. Mas eu sobrevivi. Estou ficando forte feito um touro, muuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!
Só que às 13 horas, eu tinha mais um exame, o anti-HIV. E eu toda P da Vida, achando que meu pobre bracinho iria ficar só a peneira hoje, de novo. 
Chego lá no CTA (Centro de Testes) e logo me enfiam numa saleta de palestra. Ah, vão querer ensinar o padrenosso pro vigário? Falaram lá como se pega DST. Eu sei como se pega, e fazendo macarronada garanto que não é. 
Mostraram cartazes; "Isso é um Bilau com crista de galo", "Isso é uma Biloca com clamídia". Aham, se não me mostrasse eu nunca saberia, valeu por exibir tantas genitálias murchas, perebentas e meladas de secreções fervilhando de vírus. Écaaa, eu tinha acabado de almoçar! Mas tinha que encarar aquilo ali e ponto final.
Logo após, me levaram pra uma salinha, me deram um formulário para preencher e veio a surpresa: o teste é feito com um furo no dedo, e a gota de sangue é colocada numa canetinha estilo teste de gravidez. 
Positivamente que deu negativo, uhhh! Também pudera! Lá atrás, naquela bateria de testes iniciais da gestação, eu já fui testada para diversas doenças, inclusive AIDS, tudo negativo. E depois daquilo, só se eu peguei por osmose, pois vieram as complicações, o "celibato", aquilo que todos aqui estão carecas de saber.
Bom, com isso espero de coração que a próxima picada seja aquela na coluna (não que eu queira, mas.....) para a chegada do Miguel, que eu não aguento mais tanto exame.
Só de exame de urina, a quantidade coletada daria pra abastecer uma cidade do tamanho de Campinas por três semanas. Agora quero saber por que é que ninguém quis mais cocô, ahaihaihaihaihaiha!


Saindo do assunto exame e entrando em uma outra questão.
Faz tempo que eu quero falar sobre isso, e tenho protelado, por pura preguiça de falar tudo. E nem sei se vou conseguir.
Grávidas e mulheres recém paridas são perseguidas feito bruxas na época da inquisição. Quem nos persegue são pessoas cujas línguas não cabem dentro da própria cavidade oral, cujas línguas coçam para falar bobagem, e cujos cérebros vivem a maquinar inverdades sobre nós, pobres mamãezinhas. Trocando em miúdo: SOMOS TRATADAS FEITO IDIOTAS.
Engraçado como toda mulher em situação de gestação e puerpério de repente se tornam imprestáveis, burras, irresponsáveis. Sim, a mãe de primeira viagem, em tese (na tese de quem nos persegue), não tem o direito de cuidar do umbigo do bebê senão vai dar uma infecção e a criança morreeee, é bom entregar pro curandeiro da vila! 
Que mãe não pode dar o primeiro banho, porque é bem capaz que a criança morra afogada ou na melhor das hipóteses, seja derrubada de cabeça no chão.
A mãe não pode olhar um cachorro na rua senão a criança nasce com a cara do dito cujo (e sabe lá se não irá latir e comer o pé da mesa).  
A mãe não pode soltar um peido, senão a criança nasce com pés de porco e chifres de veado
É um desfile de ridículos não pode, você não sabe, você não consegue, não é capaz, que juro, a gente precisa fazer "força de cocô" pra não voar na jugular de alguém. O pior ainda, é que muitos dos que fazem isso, nunca sequer gerou uma vida, nunca pariu, nunca trocou uma fralda melada, não sabe o que é um mecônio e jamais fez um ultrassom! E mesmo assim, se acham no "dever" de nos alertar sobre "o quanto é desesperador ser mãe". Ora, faça-me o favor. Desde que o mundo é mundo, todos os dias, muitas mães se graduam na faculdade da vida! Todo dia se aprende algo novo, todo dia a mulher se descobre capaz de gerar e manter uma vidinha, que chamamos por aqui de FILHOS. 


Chegaaaa! Basta! 
Vamos rasgar nossos soutiens e declarar liberdade! Vamos aniquilar com esse falatório inútil, mostrar que somos capazes de fazer tudo e muito mais! Que não nascemos ontem, que temos condição de perguntar se precisarmos, e estamos sempre dispostas a aprender o correto! Que nossos bebês não morrerão por inanição, nem infecção, nem nada dessas barbaridades.
O assunto renderia muito ainda, tem a questão do bebê com cheiro de bafo porque vive com a cara cheia de saliva alheia, que fica irritado por passar de mão em mão como se fosse a tocha olímpica, e na hora de dormir, fica fazendo manha (e claro, todo mundo some na hora do vamo vê) mas aí eu venho outra hora que eu estiver bem com a macaca, e falo sobre isso também.  
Por hoje é só, ou pelo menos eu acho que é. Se dependesse de mim, postaria duzentas vezes ao dia, pois como diz o ditado, mente vazia, oficina del diavolo. Ficar aqui na cama o dia todo dá nisso, excesso de criatividade e vontade de arrancar casquinha de ferida. Fui!!!!!!!!!!

5 comentários:

Rafa ღ disse...

"Isso é o Bilau com crista de galo", "Isso é uma Biloca com clamídia"

HSUIOAHSIOHUASIOAHUOSHAUOSHUIOSHUIOAHUISHIOAHUSIOA

MORRI!!!

Máh disse...

Querida! Pelo menos o bom humor impera ainda não é?!!!
Pelas frases "Isso é o Bilau com crista de galo", "Isso é uma Biloca com clamídia"... rsrsrsr!!
Com relação as línguas maledetas deixa para lá sabemos que vc e qualquer mulher que deseje um filho será melhor mãe que puder...
Mantenha-se com o bom humor acho que isso sim é fundamental...
Bj

Cláudia Leite disse...

Dri,

Que imagens gostosas para se ver à essa altura do campeonato neh!

Essa parte de babação no bebê me preocupa mesmo, afinal eu aguento, mas mexer com minha cria vou ficar bruta!

bjo!

Than disse...

Menina, q texto ótimo...rs
Pq só quem ta vivendo isso sabe bem como as coisas são, e pior é q as coisas são assim mesmo!

Bjos

Beca Bricio - Mulher que pariu disse...

Vou ser sincera com vc! Pré natal é um saco! Poxa, todo mês ter que ir ao G.O., fazer uma bateria de exames de sangue, pip´s e coc´s!! Pesar, ai ter que pesar era o ó!!!

E você disse tudo! Nós mães de primeira... viagem ... digo, somos mães de primeira mesmo!!! Podemos não ter experiência, mas o instinto é nosso e ninguém melhor que nós mesmo para saber o que é melhor para nossas crias!!

Eu fiz uma postagem sobre isso! eu estava mega fula da vida!! eu chorava de raiva dos pitacos inconvenientes dos outros!!! é fogo mesmo!!!

um bjão na barriga!