quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Em tempo... 8 meses de Arthur

Vida de mãe de dois não é moleza não! Imagino mãe de 3, 4, 5... acaba que a gente não tem tempo pra mais nada! E nessa vibe toda esqueci de postar sobre, por exemplo, os 8 meses do Arthur! E sobre o corte do cabelo do Miguel...

O Tuco completou 8 meses no último dia 15. Está lindo de viver, é o verdadeiro bebê simpatia, distribui sorrisos por onde passa! Tá cada dia mais lindo! Só que ele vive chorumelando o dia todo pedindo colo e né, quem consegue? Primeiro que ele está pesando 9,200kg e segundo, porque tenho o Miguel que se morde de ciúmes e uma casa todinha para cuidar. #oremos

É um vampiro? Não, é um bebezão lambuzado de suco de beterraba!


Miguel, por sua vez, está um mocinho, do alto dos seus 3 anos e 8 meses. Pena que muito teimoso. Agora resolveu que odeia tomar banho e lavar os cabelos. Por isso, a saída foi dar adeus aos cachinhos, característica-mór do meu meninão. E não é que ficou um charme? É que ele é lindo até fazendo cocô, que dirá num corte transado de cabelo?

Fiquem com as fotos que eu vou indo. Espero que tenha escrito de forma inteligível, porque digitar com um Arthur gemendo na orelha não é muito fácil! O pensamento simplesmente FOGE!

Perigote das mulheres!


FUIIII!!!

Eu testei e... Fralda BABYSEC ULTRA - Galinha Pintadinha


Numa busca constante pelos produtos BBB - Bom, Bonito e Barato, eu vivo pesquisando novidades (ou nem tanto assim) pelas lojas e mercados da vida. Aproveitando que o Arthur é outro "fusquinha" quando o assunto é fralda (o menino não tem alergia a nada), vivo trocando de marca e comprando promoções. Lógico que com a experiência acumulada na época do Miguel, algumas marcas estão definitivamente riscadas da minha lista.

Eis que dia desses eu vi num panfleto de ofertas de uma rede local de supermercados uma marca que me chamou a atenção pelo tema (Galinha Pintadinha) e pelo preço (R$ 14,99 o pacote com 20 tamanho G).
Corri para o mercado, mas o tamanho do Arthur estava esgotado. Pesquisei um pouco na net sobre a fralda Babysec Ultra e li que as mamães andavam satisfeitas. Bingo! Era justamente o que eu queria!

Depois de uns dias voltei ao supermercado e para minha surpresa, o preço havia baixado mais ainda (R$ 12,99) e o estoque estava reposto. Encontrei o tamanho G e logo abracei o meu pacote de teste.
No dia seguinte, tive que levar o Arthur ao pediatra, logo pela manhã. Coloquei a fralda meia hora antes do horário determinado (8h30) e saí. Sabe como é posto de saúde. A coisa demora horrores e a infraestrutura é zero. Por sorte o Arthur não fez cocô e eu resolvi manter ele com a mesma fralda. Acontece que ele chegou em casa dormindo e assim ficou até as 15h30! Não me julguem! Afinal, quem troca fralda à noite se o bebê não acorda? Pense que foi mais ou menos a mesma situação. Em criança dormindo não se mexe.
Resumo da ópera, 7 horas depois, assim que ele acordou, eu fui trocar a bendita fralda colocada às 8h30 da manhã. Estava cheia porém sem despedaçar e não vazou uma gota. No dia anterior, eu havia passado por uma experiência péssima com a Pompom Protek Baby, que vazou em duas horas apenas. Nem preciso dizer que fiquei feliz da vida com a Babysec né?

O único ponto negativo, a meu ver, é que ela é perfumada. Mas dos males o menor!

Pontos positivos: preço pra lá de bacana, formato confortável, lembra a Pampers, não esfarela mesmo com muito xixi, não solta gel, tem fecho abre-fecha em velcro, possui elástico na cintura (nas costas) e revestimento suave tipo tecido - sem falar que é uma gracinha com suas estampas da Galinha Pintadinha e sua turma.
Pontos negativos: é perfumada.
Preço: entre R$ 12,99 a R$15,99


Recomendadíssima

PS.: isso não é jabá e não ganhei nada por isso. 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Falando sobre saúde - o Leite de Cabra

Apesar de ainda muito pouco divulgado para nós, hoje eu vou falar sobre um produto maravilhoso e no qual vale a pena investir: O leite de cabra Caprilat.
 Muitas de nós temos dúvidas com relação ao leite de cabra, por achá-lo um tanto quanto exótico. Tem gente pensando que causa alergias ou intolerância, o que é exatamente ao contrário. Para algumas situações, essoas alérgicas ao leite de vaca encontram no leite de cabra uma excelente alternativa. Importantes estudos apontam inclusive que o leite de cabra tem muito mais efeitos positivos em nossa saúde do que se imaginava. Ele pode, por exemplo, melhorar o uso metabólico do ferro, cálcio e fósforo, contribuindo para a melhor fixação destes minerais no organismo. O que pouca gente também sabe é que o leite de cabra é digerido mais facilmente que o de vaca. Enquanto ele leva cerca de 40 minutos para ser digerido, o leite de vaca pode ficar até duas horas até sua metabolização. Com toda essa rapidez, há menor fermentação, menor resíduo intestinal e menos gases! :-)




 LEITE DE CABRA PARA A CRIANÇADA

Agora que você leu até aqui, deve estar se perguntando sobre o motivo desta postagem. Simples: quero dividir com vocês as informações que recebi e das quais tenho feito bom uso. Você sabia, mamãe, que o leite de cabra é bastante similar ao leite humano? E que pode - e deve - ser usado no lugar do leite de vaca?
  • Além de excelente fonte de cálcio, que ajuda a prevenir a osteoporose, o leite de cabra possui o poder de combater anemia. Sem falar, claro, que é considerado hipoalergênico por conter menos caseina alfa-1. Contém alto valor nutricional e 20% menos colesterol em comparação ao leite de vaca. Fala-se também na função de prevenção de tumores. Com tantas informações e benefícios, eu já incluí na dieta da família o Leite de Cabra Caprilat. 



 Miguel adora e eu dou sem medo porque sei que estou oferecendo o melhor. E acreditem, em não viria aqui falar naquilo em que eu não acredito.
Se você ainda tem algum receio, pode começar saboreando os iogurtes à base de leite de cabra, ou ainda os famosos queijos Feta, Pirâmide, Chabichou, Saint Maure etc. Procure em sua cidade o Leite de Cabra Caprilat e aproveite todos os benefícios que ele oferece à sua saúde e a de sua família!

 Você sabia?

- Na antiguidade, já se conhecia os inúmeros benefícios do leite de cabra. Conta-se que Cleópatra tomava banhos de imersão com o intuito de embelezar sua pele.
 - O leite de cabra não é utilizado apenas como alimento. A indústria cosmética também se rendeu às suas qualidades e hoje fabrica shampoos, condicionadores, cremes hidratantes, sabonetes etc.
















 

terça-feira, 15 de julho de 2014

Arthur, 7 meses

Hoje meu gordinho completa 7 meses. Incrível como o tempo passa rápido sem que a gente se dê conta disso, né? Parece que foi ontem que eu saí de casa assustada, cheia de dores, porque ele simplesmente resolveu passar pro lado de cá sem prévio aviso! A coisa tinha ficado séria, eu teria que dar conta, chupar mais essa manga!!! Pois é! E lá se vão 7 meses de muitos outros que virão. Meses não. Anos, décadas. Porque o que mais quero é que esse carinha aqui tenha vida longa e próspera. Não demora muito e esse pingo de gente já vai estar andando pela casa, fazendo a maior farra com o maninho Miguel (e meus cabelos brancos irão aparecer em profusão).
Arthur, meu anjinho, parabéns por mais um mesversário! Muita saúde pra você! Te amo muito!


terça-feira, 8 de julho de 2014

Remédio para dor

Aqui a chantagem impera, minha gente. Desde quando dor de barriga se cura no colo??? Vejam isso! 
Eu lavando louça e o Miguel encosta dizendo:
- Mãe, dá colo.
- Filho, eu to lavando louça. Espera.
- Mãe, dá colo. To cum dô baíga. 
- Vai fazer cocô então.
- Não. Dô baíga num sai cocô. Sai colo. (Explicando que a dor de barriga dele só vai se curar no meu colo).
Largo a louça de lado, vou pega-lo no colo. Sentada, claro. Eu não aguento mais o peso da criança.
- Em pé mamãe. Dá colo em pé. Igal nenê! Dá colo, mamãeeeeee...

domingo, 29 de junho de 2014

Sucos e papinhas - começando

Sempre que se tem um segundo filho, as coisas ficam bem mais fáceis em todos os aspectos. Com a alimentação não é diferente. A gente já sabe como proceder. Está sendo assim com o Arthur: não precisei ficar à mercê das orientações do pediatra, mesmo porque a consulta dele seria muito tardia com relação ao tempo certo para a introdução das famosas papinhas. Já fui, por conta e experiência próprias, introduzindo gradativamente, o suquinho, as frutinhas e a papinha salgada. Bem diferente do Miguel (como mãe compara os filhos né?) o Arthur não se mostrou um comilão. Até dá trabalho na hora do papazinho. E olha que eu sou muito caprichosa e cuidadosa com o cardápio dos meus pimpolhos, hein? Mas como diz o ditado: "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura" e um dia, que espero não demorar, ele será o fã nº1 das delícias da mamãe!

Agora, fotos, porque é disso que nós mamães-coruja gostamos!



Papinha de banana

 
Até que ele aceitou bem a frutinha

Boca suja de papazinho

O primeiro suquinho do Tuco

A primeira sopinha (depois foi amassada para virar papa)

Alguém não curtiu a experiência da comida salgada!

Nasceuuu!!!

Chegou um mês antes do que eu estava acostumada. Não tão silencioso, fez o Tuco chorar, se contorcer e babar. O primeiro dentinho acabou de despontar naquela boquinha linda que eu não me canso de apreciar.

Lembro bem, o Miguel apresentou o primeiro dentinho aos 7 meses de vida. Também reclamou horrores, afinal a joça toda dói e coça, não deve ser muito agradável né? pelo menos não me recordo disso heheh
Já o senhor Arthur, que gosta de antecipar tudo (resolveu se implantar em meu útero ao menos um ano antes do planejado, nasceu quase um mês antes do previsto, perdeu o umbigo com 5 dias), agora resolveu perder a linda banguela antes do irmão. É, minha gente, agora ADEUS banguelinha! Vou sentir tanta saudade disso! Mas a vida é assim, sempre evoluindo e jamais regredindo, né?
Arthur tem 6 meses agora. Nesta semana ele quis morder meu dedo e no meio de toda aquela babação, percebi uma coisa durinha, como uma pontinha de prego, espetando pra valer. A outra novidade é que Tuco já está comendo papinhas doces e salgadas (embora não tenha curtido nenhuma delas). Definitivamente, cadê meu bebezinho???

sexta-feira, 27 de junho de 2014

A primeira festa junina do Miguelin

Santo Deus! Estava espiando, já faz quase um mês que não dou as caras por aqui! Pudera! Miguelin tá de férias, o Arthur anda num fogo total (junta doença+dente nascendo+carência) e eu sou uma só. Falta braço pra tanta criança! Mas isso é assunto para outra postagem, tá?
Agora quero mostrar a primeira festa junina do meu anjo Miguel. Nem preciso dizer que ele curtiu muito, dançou até (eu pensei que o bichinho travaria na hora H, que nada!
Apreciem sem moderação!!!

Já tenho filhos com bigode! 

Avancêêê! Tour!!!!

Com a professora querida!

Pescaria para ganhar a prenda


segunda-feira, 16 de junho de 2014

A saga do bolo dos 6 meses

Para o Miguel, talvez pelo encanto que o primeiro filho traz, também pelo dinheiro e tempo disponíveis, a questão é que a cada mês completado, eu fazia um bolo para comemorar. Foi assim até  primeiro ano de vida.
Mas o Arthur, coitado, chegou em tempo de vacas magérrimas e sempre tinha um empecilho para o tradicional bolinho de mesversário. Até que eu consegui um tempinho extra, juntei uns ingredientes e tchanããããm: fiz o bolo de 6 meses. Não foi fácil completar a missão. Afinal, o Arthur quase não dorme durante o dia e o pai não quer saber de maneira alguma de cuidar dele. Acabou que eu levei um dia inteiro para bater e assar o bolo, esfriar, rechear e cobrir.
E quando tudo ficou pronto, já passava das 22 horas e o aniversariante tinha sido vencido pelo cansaço.
...
#fail

Eu e meu bolo fail.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

CONTO DE UMA NOITE DE MÃE (fato verídico)



Uma noite. Duas. Três. Quatro, cinco, seis, sete... perdi as contas. Acho que já passa de duas semanas nessa vida loka. Arthur decretou, não dorme à noite. Nem eu. Vou contar como tem sido por aqui. Em especial, como foi essa última noite para mim.
O pobre pai dorme no sofá gelado e duro, já que a cama acabou ficando pequena para a mãe, um bebê e uma insônia. Ele precisa se refazer para enfrentar o dia de trabalho.
Eu protelo ao máximo a minha ida para a cama, já traumatizada, porque sei que nem deitar direito poderei. O frio come solto madrugada adentro e eu ali, fazendo as vezes da plantonista "incansável". Arthur deseja mamar. Cochila, mas logo acorda, parece assustado. Às vezes se acalma logo, noutras é como se fosse tomado por um terror. E chora, chora. De repente, a calmaria. Não nesta última noite, mas às vezes até o Miguel sai da cama incomodado com tanta balbúrdia. O relógio não perdoa, não para, o tempo vai avançando e eu confesso que às vezes eu desejo mesmo que aquilo acabe e o dia amanheça logo. É muita tortura. Frio. Sono. A cabeça dói, o corpo moído, os olhos insistem em fechar, as pálpebras pesadas, colando. Mas o Arthur continua ali, meio tirano até, me proibindo o tão necessário descanso. Algumas vezes o terror termina às 6 da matina, e eu posso dormir umas 2 horas com sorte. Hoje não foi assim. Arthur permaneceu acordado. 7 horas. 7 e meia. 8 da manhã. Miguel levantou duas vezes e eu enérgica, mandei ele voltar para sua cama. Cedo demais. Frio demais, chuva. Eu não poderia arcar com duas crianças mal humoradas. Preparo uma inalação para o Arthur, ele está resfriado. Herança do Miguel. Depois que começou a frequentar a escolinha, nunca passou mais de uma semana sem que o nariz escorresse, ou que tivesse uma tosse chata. Me avisaram!
Inalação feita, ele começa a soltar pum, tem um pouco de cólica. Quer meu colo. Quer mamar. Resolve brincar, mas logo chora. Ouço lá no outro quarto, Miguel se bater na cama, fungar. Acho que ele está acordando de novo. Catso! Como é difícil! Isso não ensinam na escola! Continuo ali, firme e forte: nana nenê, nana! Finalmente, Arthur relaxa e começa a ficar mais molinho, adormece. Eu ajeito ele no cafofinho ao meu lado na cama. Me cubro com o edredom, estico meus cambitos. Ahhh, delícia. Que sensação maravilhosa, tão quentinho e...

"-Mamãe, mamãe! Qué vê gainha!"

Não tem jeito. Salto da cama, ainda tento negociar: "Vamos deitar eu e você lá no seu quarto. Vamos dormir abraçadinhos." Mas não tenho sucesso. Ele quer brincar, quer ver TV. E eu, bem... eu tenho um longo dia pela frente, casa suja, roupa para lavar,crianças precisando de uma mãe disposta (cadê ela?).