sábado, 19 de fevereiro de 2011

Derrubei Miguel no chão




Um minuto de silêncio para você assimilar a informação...





Não, você não leu errado, eu derrubei o Miguel no chão. Foi ontem lá pelas 14:00.
Hoje estou até falando com certa calma, mas ontem eu quase morri de tanto chorar. Ele estava bonzinho, fiz filminho e tudo. Logo em seguida, o pior aconteceu: eu estava dando uma geral na casa. Miguel estava no bebê conforto, em cima do sofá. Foi então que ele começou a chorar. No momento em que fui acudir, resolvi mudar o bebê conforto para o outro sofá. A alça porém, não estava travada, mas não aparentava. Foi muito rápido, o bebê conforto virou e despejou o Mi no chão, como uma caçamba de areia. Ploft! Ele se esborrachou no tapete, foi de cara, da altura do sofá. Eu só vi ele escorregar, mas repito, foi rápido mas como um filme. Ploft! Ploft! A cena se repete a cada instante na minha memória. Me lembro de ter voado em cima dele, que estava mudo, como que em choque. Então ele começou a chorar, um choro doído, e ficou muito vermelho. Com ele no colo, fiquei como barata tonta, sozinha e girando em roda. Não sabia o que fazer. Peguei o telefone, liguei para a policlínia, mas aquela *&#%@! não atendeu. Botei um chinelo no pé, passei a mão na chave do carro, enfiei ele de novo no bebê conforto e voei para o PS pediátrico do Hospital São Judas. Aquilo ali estava fervendo de criança esperando pelo atendimento. Mas eu cheguei chegando, cega de pânico e pedi pelo amor de Deus, que atendessem ele, que eu derrubei no chão. E o atendimento foi rápido, em menos de 10 minutos ele estava no raio-X. Tudo normal. Passou pelo médico. Tudo bem, sinais ok, pupilas reagentes. Mas eu chorava, mal conseguia falar tamanho o caroço que eu tinha na garganta. Miguel já não chorava, mas eu não conseguia me controlar. Acho que a adrenalina baixou e eu senti o peso da situação me esmagando a cabeça. Pedi pra ligarem pro meu marido, porque eu teria que ficar no hospital até oito e meia da noite, na observação. Nem preciso dizer, o Flávio quase botou um ovo! E em minutinhos ele surgiu no hospital, deve ter voado em cima daquela motoca dele ao cruzar a cidade!
E quando ele apareceu ali no quarto, eu até soltei um ronco vergonhoso, um róóóóóinc, uma baita fungada que tava ali entalada no gogó. Eu não parava de chorar, chorar. E o Miguel ali, rindo! Mas eu me sentia a mais imunda das criaturas, incompetente, como é que pode, logo eu, derrubando o meu mais precioso bem no chão? E se tivesse acontecido algo pior? Eu acho que me mataria, não suportaria tanta culpa.
Aproveitei o papi ali, voltei pra casa, tomei um banho que eu tava melada de suor, peguei umas coisinhas pro Miguel (na pressa saí sem nada) e voltei ao hospital. Lá permanecemos até a noite, quando a pedriatra do plantão finalmente o liberou.  Durante as 6 horas de espera, além do medo de alguma complicação, foi difícil também suportar o olhar de reprovação das enfermeiras que vinham saber da história. Como assim, derrubou? Derrubei, porra! Acidente! Acidente! Foi mal, eu já estou um trapo, não preciso de julgamento!
Bom, o final da história é que graças ao bom Pai, o Mi nem galo teve. Ficou um esfolado na cabecinha, uma mancha igual à do Mikhail Gorbachev. É isso aí:  foi aquele susto e fica o aviso: todo cuidado é pouco na hora de acomodar e transportar seu bebê!

No meu colo, no hospital.


Manchinha do Mikhail Gorbachev onde tem a entradinha, à direita de quem olha

17 comentários:

disse...

Oi dri! nossa.. quando eu li.. levei um susto..r.s.. nossa.. eu sempre tive medo de uma cena assim. ainda bem que acabou tudo bem com o miguel!

beijinhos

Mamãezinha Feliz!! disse...

Nossa Adriana, q susto!! Eu morro de medo dessa alça do bebê conforto... Ela é mto traiçoeira mesmo, na hora da pressa a gente eskece mesmo... peço a Deus que nunca aconteça aki em ksa, acho q eu ficaria igual a vc de desesperada...
Mas graças a Deus deu tdo certo e Miguelito está bem...
Agora vc nunca mais vai eskecer de travar a alça né!! rsrsr
bjuss

Kat disse...

Nussss more q sustão hein??? Mas graças a Deus não foi nada grave.... E o danadinho mesmo com o machucadinho rindo tá muito engraçado! Bjsss

Naná Jacob disse...

Nossa Dri imagino como você ficou,nós nos sentimos péssimas mesmo!
Mas Graças a Deus ele está bem!

Acidentes acontecem,não se sinta um trapo como você disse.

Beijos pra vcs

Laura disse...

Que coisa chata, imagino o susto que foi! Mas calma que essas coisas acontecem com as melhores mães, não foi vc que deixou ele cair, foi um probleminha no bebê conforto, tenta não se culpar (sei que é dificil). O importante é que o Miguel ta bem.

Beijos pra vcs

Jullia disse...

nossa Dri, quase que morro do coração aqui tb lendo o relato, tadinhooo ;/, mas graças ao bom Deus tudo lindo com o Miguel, já ateh postei lah na comunidade dos bebês de dezembro meu horror a essas alças, já li relatos de casos parecidos, enfim dri, aqui em casa eu carrego por baixo mesmo, um peso só, mas eh melhor do que confiar nessas tranqueiras que se dizem seguras... affs ngm merece, mas passou mamãe!! Beijos em vc e no lindão do Mi!!

Than disse...

Driiiiiiiiiiiii eu ja fiz isso tb com a merda do bebe conforto q nao parace q esta destravado. Tb peguei a Anna e a alça estava destravada a minha SORTE é q ela tava com o cinto e não caiu no chão, mas eu no instinto maternal dei um soco na testinha delapra segurar pq eu nao tinha me ligado q ela tava de cinto e nao ia cair, saca! Mas olha eu odeio esse bb conforto q faz isso. Agora to muuuito mais esperta, sempre sempre sempre q eu vou pegar ela com o bendito, eu confiro se esta mesmo travado, mesmo q eu tenha certeza disso!!!
Putz, mas AINDA BEM q foi mesmo só um susto Dri!!!!!!!! Ufa. e q bom q Mimi esta otimo, sorrindo. Mesmo q vc esta chorando...rsrsrs...antes nós do q eles ne????????? rs

Bjoooos

Cláudia Leite disse...

hO Dri,
Não queria mesmo estar na sua pele neste momento... Não tem jeito, a culpa vêm mesmo.
Mas quando vemos que está tudo bem o alívio nos deixa feliz!
Não dá pra confiar nessas bases do bebê conforto neh? E um minuto que vira pronto, já pode acontecer alguma coisa.
Sei que todo mundo fala isso, mas a verdade é que isso acontece mesmo...

bjo!

Anônimo disse...

Oi Adriana,faz um tempo que vejo seu blog mas, nunca comentei.Você tem um lindo filho e vejo a sua felicidade por te-lo.Não se culpe pelo que aconteceu, e graças a Deus terminou tudo bem.
Também venho aqui expor meu problema para você, me desculpe invadir seu espaço, vejo que é uma pessoa sensata, inteligente, então me senti a vontade de contar sobre minha vida, já que guardo isso comigo e não posso dividir com ninguém:Estou desesperada, sempre quiz ser mãe, agora vou ser.Meu marido e eu ficamos muito felizes.Mas, um peso na consciência tomou conta de mim, uma aventura, tinha traido meu marido justamente no mês que engravidei.Passo a pensar o tempo todo se o filho é do meu marido,tive relações com ele quase todo dia do período fertil.Já com o outro foi no 6º dia do ciclo(sem camisinha e sem ejacular dentro)e também no 11º(com camisinha mas,sem, minutos antes).
Não consigo amar esse bebê por imaginar que seja de outro, choro todo dia pensando nessa possibilidade, que talvez seja pequena.O arrependimento é tão grande, meu marido não merece isso, muito menos que o filho seja de outro.Se o filho for do outro prefiro morrer, do que passar por isso.Mas isso só vou saber quando ele nascer, ainda estou na metade da gravidez.Me sinto a pior pessoa do mundo,não tenho vontade de nada, não como nem durmo direito.Meu marido anda nervoso comigo, porque não estou trabalhando e não faço nada, mas não posso falar o motivo.Ele jamais me perdoaria,minha familia não me aceitaria em casa,e já o outro, não posso contar com ele pra nada e nem quero, tomei nojo dele, pasei a detestá-lo.Me desculpe mais uma vez mas, precisava desabafar com alguém.Desejo muita felicidade pra você e sua família.Obrigada por ler toda essa loucura.

Adriana Bandeira disse...

Anônima

Li seu desabafo e no momento, a única coisa que eu posso afirmar com toda a minha convicção: seu bebê não tem culpa de nada! Ame-o, porque antes de tudo, ele TAMBÉM É SEU FILHO! Independente dos erros dos pais, as crianças deveriam sempre sair ilesas. Você talvez não saiba mensurar nesse momento a coisa maravilhosa que é dar à luz uma vida! Logo vai saber e certamente vai deixar de lado essas suas preocupações, mesmo porque as chances desse bebê ser filho do número 2 são mínimas, praticamente inexistentes. E vamos lá, suponhamos que seja: todo mundo erra um dia e todo mundo merece uma chance de um novo recomeço.
Vc não queria ser mãe? Vamos lá, bola pra frente, toca sua vida e aproveita a barriga, os chutes, os ultrassons, aproveita enquanto vc pode, que depois bate aquela saudade de tudo! Vamos, querida! Quero ver vc voltando aqui e dizendo que tudo correu bem e que vc é a mulher mais feliz do mundo!
Beijos! Fica em paz!

Anônimo disse...

Muito obrigada pelas suas palavras,foram muito importantes.Sei que meu filho não tem culpa de nada, não quero que nada de mal aconteça com ele.Estou mais aliviada por poder contar com uma pessoa que nem me conhece mas, mesmo assim me fez um bem tão grande.Muita felicidade,beijos.

Janahhh disse...

ai amiga sei bem o que vc passou o rique caiu tambem essa semana seu 1° tombo nossa chorei muito fechava o olho e via toda a cena é orrivel espero que esteja tudo bem viu beijos

Queli disse...

Imagino o seu desespero, mas só te condena qm nunca teve filhos.
Esses acidentes acontecem mesmo, claro q vamos nos policiar o tempo todo pra não acontecer e mesmo sabendo q pode acontecer vamos ficar desesperadas e apavoradas diante de um acidente desses.
O importante é q no fim tudo acabou bem e q serviu pra alerta outras mamaes tbm.

Dulce Campos disse...

Por acaso nunca me aconteceu na realidade, mas em sonhos sim, e parece tão real que acordo em pânico! Compreendo bem a tua desilusão contigo mesma, pois nenhuma mãe quer que aconteçam acidentes aos seus filhos, sobretudo debaixo da sua guarda! Mas estas coisas acontecem, e isso não faz de ti uma má mãe! Quanto ao olhar reprovativo das enfermeiras, não dês importância a isso! Sei de enfermeiras que fazem coisas incorrectas com os filhos, e não se devem reprovar a si mesmas por isso (pelo menos não parece!).
Um abraço!

Beca Bricio - Mulher que pariu disse...

Dri, relaxa, viu!

Quando o Gui estava com 4 meses, estava amamentando ele no lado esquerdo da cama e ele adormeceu no peito e eu capotei junto.

Acordo com marido me chamando aos berros e indo socorrer o Gui que havia acordado do meu colo, rastejado até a diagonal direita da cama e ploft no chão!!! E eu nem escutei ele chorando que foi o pior. Quando ele fez 9 meses, estava no sofá com o pai e caiu de cara no chão.
É a vida...

Priscila disse...

Olá, Adriana. Já disse a vc que passo de vez em quando por aqui, através do blog do Grão de bico.
Seu filho é lindo.
E suas narrativas são bem engraçadas. Gosto de como vc conta as coisas: vc não tem medo de ser sincera. Essa do tombo, especialmente, foi bem engraçada... Embora o fato não tenha sido nada engraçado, é bom lembrar.
Mas acidentes assim são muito mais comuns do que parecem, é que as mães têm vergonha de os assumirem...
Meu filhote caiu tanto no chão qdo bebê... Aos 4 meses eu não travei o carrinho e, enquanto lavava a louça, a parte que o bebê fica sentado virou e ele meteu o coco no chão!
Depois, aos 6 meses ele caiu da cama duas vezes...
E quando era recém-nascido, prendi a barriga dele no cinto do trocador! Coitadinho, perdeu o fôlego de tanto chorar...
Abraço!

Anônimo disse...

Nossa!!!!! Isso aconteceu comigo ontem. Coloquei minha filha de 5 meses no bebe conforto e estava indo em direção a porta de casa qdo o pior aconteceu ela caiu de cara no chão pelo mesmo motivo essa maldita alça do bebe conforto. Não sei direito como ela caiu só sei que quando vi ela já estava de cara no chão chorando então a peguei no colo e quando olhei no rostinho dela estava todo vermelho. Fiquei louca na hora não sabia o que fazer sentei no sofá e ficava olhando, olhando e pensando meu marido vai me matar. Pensei em esconder de todo mundo, mas o melhor a fazer naquele momento era leva-la para o hospital e foi exatamente o que fiz quando cheguei no hospital fiquei esperando uns 20 min p/ atender foi tirado raio x e graças a Deus nada constava fui liberada imediatamente, mas hoje fui na pediatra e a mesma pediu para ficar esperta e verificar algum comportamente entrando como muita sonolencia ou alguma coisa que esteja fora do normal da rotina da minha bebezinha e correr p/ o PS e ligar p/ ela. Nossa se alguma coisa acontecer acho que morro.