sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Deixando viver

Hoje eu vim socar o fumo. Vista a carapuça quem quiser, beleza?

O que me fez escrever esse texto é a falta de saco que ando tendo com os conselhos que não pedi com relação à criação do Miguel. Um porre, isso sim...
Miguel é uma criança feliz, uma alma livre, que anda descalço o dia todo, que brinca de mangueira no quintal, que come doce (com ressalvas, depois entro no assunto), que abraça e beija gato, que sai sem sapato na calçada (ai, vai queimar o pé.....), que cata pão do chão e come, que brinca no monte de areia da construção ao lado. E eu sou desnaturada? Não, o Miguel que é criança, poxa vida! Eu fiz tudo isso e tô aqui prestes a completar 33 anos e vivinha da silva, não me caiu um braço nem fiquei cega. Duas verdades: quanto mais o tempo passa, mais as pessoas ficam frescas e quanto mais o tempo passa, descubro que o Miguel tem mil mães que passam seu tempo querendo comandá-lo (só não pagam as despesas). Hein? Cai fora, jaburu!

Criança não foi feita pra ficar na redoma de vidro, protegida do clima, do pó, dos animais e da comida.
Aqui é assim, ó:

Alimentação
Miguel é viciado em vagem, brócolis, cenoura, tomate, couve-flor e afins. Ele chora se eu não der. Sério. E  eu prezo isso muito mesmo. Mesmo assim, no cardápio dele tem doces. Porém, hora de comer comida é hora de comer comida, não é hora de comer bolo, nem pudim. Co-mi-da. Sem comida, sem doce.
Se comer, aí tem bolacha, tem iogurte, tem mousse. Saca a coisa como é? Cada coisa em seu lugar.... Tem quem ache que é uma putaria eu dar doces e tem que ache uma judiação eu estabelecer horários para isso. Quer saber? FODA-SE o que acham! O filho é meu!




Brincadeiras
Miguel brinca o dia todo, anda descalço e frequenta o monte de areia. Aí me disseram que a areia é suja porque o cachorro vai lá e caga. Beleza!!!!!!!!  Então me diga o que você joga na areia da praia (lá tem merda de cachorro, de gente, resto de farofeiro, cuspe, catarro, sêmen, etc e tal) para desinfetar quando leva seu filho ou você mesmo frequenta?

Nossa, e quando ele corre e cai? Parece que a Torre Eiffel caiu... o mundo vai acabar? Não vai, ele vai levantar! Saiu sangue? Não? Então, meu, relaxaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!

Desde recém nascido, Miguel jamais foi criado com aquelas frescuras e paranóias. Faço questão sim, da higiene pessoal, da alimentação, da segurança (bebê conforto, cadeirinha, vacinação, pediatra), da proteção racional. Agora dessas frescuras da nova sociedade, passo longe e peço, encarecidamente, que me deixem criar o meu filho que eu gerei e pari.
E o resultado está aí pra quem quiser olhar: uma criança feliz, muito saudável e resistente! Sem frescuras, sem nóias! Que vive a vida intensamente, que é criança como eu fui! Criança tem que ser criança, se sujar faz parte, para isso tem chuveiro e a máquina de lavar pra limpar. Cair, levantar, se decepcionar, faz parte do processo de amadurecimento. Deixa viver!!!!!!!!!!!!!
E complementando o ditado popular: Mãe só tem uma.... e a do Miguel sou eu!!!

3 comentários:

Cláudia Leite disse...

Assino embaixo!
Essa questão de criá-los livres acaba gerando tombos mesmo, mas é assim que é a vida, nada é fácil.
Lá em casa até me marido quer me podar!

bjão e bom final de semana!

Andrea Fregnani disse...

Que ótima a criação do Miguel, infância feliz é assim mesmo.
Ainda bem que por aqui pai e eu pensamos igual e ninguém interfere nas nossas escolhas.
Alice cai e levanta sozinha, se suja muuuito, todo dia, assim como o Miguel,
bjs

Néinha Figueiredo. disse...

Apoiada!!!
Parece que foi eu que escrevi esse post!
Me identifiquei demais!!!
E bora cada um cuida da sua vida e dos seus respectivos filhos k k k.
Bjs!!!