terça-feira, 11 de outubro de 2011

Tudo o que rolou...

Puxa, puxa, que puxa! Que perrengue danado ficar sem internet, viu? Nem sei como sobrevivi sem essa maravilha por tanto tempo. A verdade é que passei meus dias trabalhando bastante, tanto pra esvaziar a casa antiga quanto pra botar essa aqui em ordem. E nem acabei ainda. Vou fazendo aos poucos porque eu não sou de ferro, né?
Mas vamos contar como foi que a coisa aconteceu...
Dia 25 de agosto, uma quinta-feira, a mudança começou a ser feita. Com uma Saveiro emprestada, carregamos algumas coisas mais essenciais: colchão, box, geladeira, berço, cômoda do Miguel, alguns cacarecos de cozinha, roupas. Passamos a dormir na casa nova, pra cuidar das coisas. Mas todos os dias tínhamos que descer na antiga pra carregar mais miudezas, tomar banho (o chuveiro daqui acabou queimando logo de cara) e cuidar dos bichanos que não podiam subir por falta de uma estrutura adequada. E assim ficamos por uma semana e 3 dias. Sem TV, sem internet, sem chuveiro, nem máquina de lavar. Aqui onde estou morando é um verdadeiro canteiro de obras, nessa rua não mora um gato pingado sequer, porém as casas estão sendo erguidas a uma velocidade montruosa. Em um mês terei vizinhos. Mas nem ligo, na obra aqui pra cima da minha casa o pedreiro é gente boa e oferece sempre uma breja gelada e pinga pra gente, ahahahaha.
Voltando a falar da mudança, no domingo seguinte emprestamos um caminhãozinho velho para levar os móveis mais pesados. Era uma F4000 amarela, caindo aos pedaços, que eu apelidei de Jabiraca. E o Flávio foi dirigindo aquilo, passando pelos poits da cidade e eu escoltando atrás com o Celtinha, "simijando" de rir. E o domingão foi assim, trabalhoso, o pobre coitado do Miguel a tiracolo. Todos cansados, acabamos às 9 da noite. Depois de pilotar aquela coisa amarela o dia todo, o Flávio nem conseguia mais dirigir o nosso carro. Ficou meio doidão feito o Chaplin em "Tempos Modernos".
O pau véio que salvou muito a nossa pele.

Nos dias seguintes, quem já se mudou sabe bem como funciona, fiquei dividindo meu tempo entre cozinhar, lavar, cuidar do Miguel e arrumar tudo o que estava ali naquela imensidão de caixas. Nunca desconfiei que a gente tinha tanta porcaria enfiada numa casa tão pequena. Cruzes!
Sem falar no susto no domingo à noite. Na verdade, na madrugada de segunda, estávamos ferrados no sono, cansados, e eu senti uma coisa fofa, peluda, subindo na cama e miando no meu cangote. Eu falei: "Flávio, tem um gato na cama". Loucura, nossos gatos ficaram na casa velha! Saímos procurando pela casa e nem a sombra do felino. Pensamos que poderia ser um caso de alucinação coletiva, sabe? Mas a patinha carimbada no lençol era o que mais intrigava. Até que eu encontrei a fulana dentro da estante. Misteriosamente - essa dúvida levarei para o túmulo - a Pérola veio no meio das coisas. Mesmo tendo tomado tanto cuidado, aconteceu. Agradeci a Deus por não ter  permitido uma tragédia. E se ela pulasse do caminhão? Nunca saberíamos seu paradeiro! Então às 3 da manhã, Flávio botou a gata no carro e levou pra casa antiga. Eles vieram pra cá apenas na quinta-feira seguinte, quando o gatil ficou pronto e o quintal todo telado. Questão de segurança. Gateiros sabem do que eu falo.

Levei 20 dias pra deixar a casa digamos, funcional. Ainda falta uma porção de coisas como limpar a massa dos vidros das janelas, dar uma geral no revestimento da lavanderia, remover pintinhas de verniz e massa corrida do piso. Só que isso leva tempo e vontade, mas confesso que me faltam os dois.
Por conta das dívidas contraídas com a construção, precisamos vender o Celtinha e compramos um carango mais velho, um Palio. Quer saber, adorei! De verdade, pelo menos o Palio tem 4 portas e é perfeito pro Miguel! 
Falando em Miguel, ah, esse aí deu o que falar nesses dias! Aprendeu muita coisa diferente, cresceu, engordou.
Já em setembro, mediu 73cm e pesou 10 kg. Nasceram os 4 dentinhos superiores, praticamente todos de uma só vez. Sofreu muito dessa vez, com assaduras feias e uma febrinha chata. No dia da primavera, 23 de setembro, aprendeu a engatinhar. Antes, ficava de 4 balançando pra frente e pra trás, feito um bicho-pau.
Logo depois, aprendeu a apontar papai e mamãe. Agora também aponta o gato, o cachorro (mais uma pra contar). Fica em pé, se levanta sozinho e apoiado nos móveis, vai dando o seu rolê básico.
Aprendeu a fazer tchau também. Foi no dia em que viu uma moça bonita operando o caixa do supermercado. Ele gamou na guria e mandou tchau. Biscateiro que só. Vai ser um tremendo namorador esse garoto!

Mas a paixão dele, mesmo, é pregar os dentes em tudo o que vê - dedo, cotovelo, braço, até no nariz da gente. Dói pra caceta. Motivo este que me fez desmamar o bezerrinho. Ele aprendeu a meter dentadas no bico do seio, arrancar sangue. Eu cansei de brigar, de ensinar que não podia. Resolvi abolir o mamico. Fazer o quê? Amo o Miguel, mas não vou querer ter meu peito sem bico. Acabou-se o que era doce. Quem sabe daqui a uns dias, se a irritação dos dentes melhorar?

Quem aqui assitiu ao Domingo Legal do dia 2 de outubro? Não que eu goste do programa, acho um horror... mas é que o Celso Portiolli esteve aqui pertinho da minha casa, num bairro vizinho. E claro, eu fui lá xeretar. E não é que eu vi o Celso de perto? Eita que moço grande! Pena que eu não apareci na TV, deixei pras piriguetes que ficavam lá pulando e se desbeiçando atrás do rapaz. Hahahahahah. Única coisa que eu queria mesmo é que o Mi tirasse uma foto com ele, mas não deu mesmo pra pedir, tava uma doidera aquela cambada toda dando em cima do Celso. Olha a foto que eu consegui dele:

Eu fiquei a poucos centímetros do cara.


Há duas semanas estamos com um cãozinho, mas ele não vai ficar aqui por definitivo. É o Tião Macalé, que hoje virou o Tião Caveira (de tão magrelo que ficou). Ele foi salvo pelo meu marido. Estava com parvovirose, quase morreu, recebeu tratamento veterinário e está prontinho pra adoção. Ele e o Miguel se amam, mas não dá mesmo pra ficar...
E pra finalizar, tem o ditado "antes um pássaro na mão que dois voando". Estou mais ou menos assim com essa internet. Eu usava o sinal da NET. Adorava, era navegação sem limites. Mas infelizmente minha rua não possui cabeamento ainda. Preciso esperar um tempo e enquanto isso uso um Vivo 3G - eu odiei. Navega devagar e ainda por cima impõe limite de tráfego. Não recomendo.
Bom estar de volta! 


Meu beijo hoje em especial pra Lica e pro Davi, que surpresa o nascimento, parabéns!!!!!!!

6 comentários:

Cândida Rosa disse...

Adorei o post! Bom te ver de volta na net Dri! O Miguel está muito grande e lindo! Parabéns!

Renata Clessan disse...

Que bom q tatdo bem por aí Dri, estava já c saudades....
O Miguel.... está cada dia mais lindão!!!
Bjos e parabéns pela casa nova

- Futura mãmã ! disse...

Oi..Amei o post..ta muito engraçado...as fotos dele dando dentada no nariz ta demais :D


Um beijo
Me visite..agradeço..se gostar comente e siga o meu bloguinho de futura mama = D

Cláudia Leite disse...

Muito bom ter notícias de vcs.
Me cansei só de ler quanto trabalho vc teve esses dias, ufa!
Miguel está lindo.

bjo.

Muriel Coelho disse...

Que saudades de vcs Adriana!!! Que gatinha sapeca. Mas amor de bicho é especial. Ela não queria ficar longe. O Miguel ta mais lindo do que nunca!!! Um super bj e parabéns pela casa nova. Ter a nossa casa é uma satisfação sem tamanho. Bjs

Mamãe Monalisa disse...

Que bom te ter de volta, Dri!
Tava morrendo de saudades de vcs...