segunda-feira, 25 de julho de 2011

Pesos, medidas e o saco de vida

Esse post não vai ser engraçado, mesmo porque eu não estou com um pingo de vontade de mostrar os dentes hoje. 

Na parte I, Pesos e Medidas, eu me refiro à visita do Mimi ao pediatra na sexta passada, dia 22. Tudo super bem com ele, saúde perfeita, graças a Deus. Pesando 9,250 kg e medindo 70,5 cm, Miguel engordou em 30 dias, 700 gramas e cresceu 2 cm. Agora, sua alimentação foi turbinada com o jantar, caldo de feijão, fígado (blérgh) e gemas de ovos, com direito a sobremesas caseiras (doce de abóbora, curau, arroz doce, pudim de leite, mingau) e frutas como kiwi, abacate, melão, melancia, manga, acerola, pitanga etc. Nosso menino tá crescendo pra valer.

Na parte II... é provável que eu suma por uns tempos, deixando tudo isso aqui às moscas. Em breve, a gente se muda para a nossa casa e lá, não existe cabeamento para internet, tampouco a que a gente usa (Net), sobrando apenas as opções Speed e a via rádio, caras demais por enquanto.
Falando em caro... eu preciso de verdade conseguir alguma coisa pra fazer em casa e ganhar dinheiro com isso. Um bom dinheiro. Senão, vou ter que abandonar o Miguel numa creche xexelenta. Eu prefiro morrer. Prefiro que um raio me parta em mil pedaços que ter que sair do lado do meu filho, que ter que deixá-lo. Fui criada ao lado da minha mãe, podendo contar com ela a cada coisinha, cada aprendizado e a cada tombo e eu não quero privar meu filho disso.Não suporto a idéia de deixá-lo nas mãos de estranhas, que não terão paciência com ele e não terão jamais o meu amor. Não conseguiria somar 1+1 distante do meu menino. Só Deus sabe o quanto já chorei por isso. Droga de vida! Por que é que tem gente nadando em dinheiro, limpando o rabo com nota de 100 enquanto a gente se debate para sobreviver? 
E tem mãe que pode ficar em casa, mas bota o filho na creche para que ela possa sair para fazer compras e ir ao salão de beleza. Preferem se abster dos filhos, do afeto. Eu não entendo isso. E eu que quero ficar ao lado do Miguel, a cada dia me vejo compelida a me afastar dele, aguentar desaforo em troca de um dinheiro de pinga. Não compensa. Preciso pensar. O que é que eu posso fazer nessa cidade impróspera? Comida? Artesanato? Não sei, nada parece resolver, ainda mais sem um capital de partida. Foda. 
Fora isso, alguns assuntos de foro íntimo estão me deixando cada dia mais definhada emocionalmente. Não darei nome aos bois, apenas afirmo que a única coisa que me mantém em pé é o Miguel, mais ninguém. Se não fosse por ele..... bah, deixa pra lá, que hoje eu to mais azeda que tamarindo verde...

5 comentários:

Lica disse...

Minha amiga querida, entendo bem o que está sentindo...Tmb penso em como vou deixar meu pequeno na escolha, com apenas 5 meses de vida! Não tenho ninguém pra me ajudar, minha mãe mora longe de casa....Não tenho como parar de trabalhar, no way....Ai, isso já me angustía demais.....Tmb morro de medo de começar a entrar em dívidas, sem ter $$$ e ter as coisinhas dele para comprar....Tudo o que fiz pra ele, como o quarto, enxoval foi porque guardei um dimdim, mas um dia não muito distante ele vai acabar...
Aiii amiga, sei que não deve estra fácil, mas aguente firme! Tuo vai dar certo, peça ao Senhor que te dê entendimento e para que abra sua visão, tenho certeza de que logo uma solução boa virá!
Estamos aqui pro que vcs precisarem!
Adoro vc!
Bjinhus,
Lica e Davi :))

Angi disse...

Guria!
que bom que o Mimi está ótimo, e crescendo bem, agradeça a Deus,amiga!
Sobre sua situação financeira, eu entendo, tb passamos altos perrengues por aqui, mas coragem, e procure alguma alternativa!Vender lingerie,docinhos(já que pelo jeito tu cozinha bem),roupa,avon...sei lá,mas não deixa te abater, vai a luta, que a vida não é mole não!
Bjocas e boa semana!

Lu disse...

Ai Dri, tão difícil falar alguma coisa num momento como este... Eu faço idéia do que vc está sentido e talvez passando... Até falei no meu blog há um tempo. Tive de colocar o Gu na creche em tempo integral, coisa que eu não queria fazer, por questões puramente financeiras. Meu culpo muito, mas não existe nenhuma possibilidade de deixar de trabalhar, ou mesmo de reduzir minha carga horária agora... Minha situação está de um jeito que também estou pensando o que mais posso fazer para aumentar minha renda. Hj estou mais tranquila com tudo isso e tentando pensar com calma. Faça isso. Tente se acalmar. Deixe o desespero passar (sei que é difícil) e logo alguma boa idéia vai surgir. E abrace muuito este moçao grande e forte que vc tem (o Gu fica pequenininho perto dele...rs..) estes abraços dão forças e paz. Eu daqui há, alguns dias, só vou poder abraçar de manhãzinha e a noite, mas acho que vou levar uma pecinha dele comigo, só pra sentir o cheirinho..rs.. beijão (e precisando conversar, me chama!)

Monalisa disse...

Pense que isso é só uma fse, Dri.
Tudo, logo em breve, voltará ao normal.
pelo menos é assim que penso quando a deprê bate aqui em casa. E olha que são MUUUUITAS vezes, viu?
Tem horas que choro de tanta angustia.

Fé, amiga!
Em breve estaremos rindo dessas fases!

Testes da mamãe disse...

Oi, adorei o blog, estou seguindo agora e sempre passarei por aqui, criei um blog atualmente, se puder da uma passadinha la e retribuir a visita e puder seguir o blog , tem dicas e testes de produtos de bebê.

o link é: http://testesdamame.blogspot.com/
abrçs, espero sua visita